“Vivei a vida comum do lar”

Eu estou (re)lendo um livro  chamado “Sabedoria Bíblica”, de Charles H. Spurgeon. O subtítulo deste livro é: Conselhos simples para pessoas simples. E o livro é exatamente isto! São assuntos tão cotidianos que é quase impossível não se ver em quase todos os artigos! Economia, diligência no trabalho, em casa, preguiça, paciência são alguns dos temas presentes neste livro! Além de que é bom praqueles dias que você só tem uns minutinhos livre pra ler, porque cada artigo tem em média 8 páginas!

Maas, não é esse o objetivo do meu post. Na verdade eu quero dividir com vocês algumas partes de um destes artigos que li essa semana. Ele tem tudo a ver com o blog, afinal fala sobre o LAR. Spurgeon descreve o nosso LAR como sendo o lugar mais precioso do mundo inteiro! E, de fato é! Nosso lar é o lugar onde nós podemos baixar a guarda, tirar todas as maquiagens e sermos nós mesmos.

Cada partezinha do nosso lar deve ser regado de paz e tranquilidade, afinal o mundo lá fora já é cheio de guerra e ataques pessoais! O nosso lar deve ser o nosso refúgio! Imagine: você está numa guerra, tiroteios e bombardeios por todos os lados, de repente lá longe você vê uma porta! Então você corre, esquivando-se dos ataques, abre a porta, entra correndo, fecha a porta atrás de você e UFA! Você está no seu lar, no seu pedacinho do céu, no seu refúgio pessoal! Você já se sentiu assim?
Por isso a importância de trabalhar para que essa guerra fique da porta pra fora do seu lar! Não importa se você mora aqui, na Bahia ou em Trento! Não importa se você mora num micro-mini-apartamento, em uma casa ampla ou naruanachuvaounafazenda ou numa casinha de sapêêê, se é o seu lar, você deve batalhar para que a paz reine ali! 🙂

Agora, convido você a desfrutar de uma das mais bonitas descrições de LAR que já li:

“Essa palavra “lar” sempre soa como poesia para mim. Ela ressoa como o repique dos sinos em um casamento, apenas soa mais suave e terno nas fibras mais íntimas do meu coração. Não importa se ela refere-se a uma cabana de sapé ou a um solar: lar é lar, mesmo que seja muito simples não há lugar na terra como ele. […] Todo pássaro ama seu ninho; a coruja acha a velha ruína o lugar mais sereno sob a lua, e a raposa sente que sua cova na montanha é extraordinariamente aconchegante. Quando o alazão do meu senhor sabe que está indo para casa, ele não precisa de guia e pensa: é melhor ir a galope; e eu penso o mesmo, pois o caminho de casa para mim é o melhor pedaço de estrada do país. Eu gosto mais de ver a fumaça da chaminé da minha casa, que o fogo no forno dos outros; há algo muito lindo no caminho que serpenteia entre as árvores. As batatas frias na mesa da minha casa têm mais sabor que a carne assada na dos meus vizinhos, e o perfume da madressilva na minha porta é o mais doce que eu já senti. Quando você está fora, os amigos o recebem da melhor forma que podem, mas mesmo assim não é a nossa casa. Eles dizem: “Sinta-se em casa”, porque todo mundo sabe que sentir-se em casa é sentir-se à vontade.
Leste e oeste
o lar é melhor.

Porque em casa você está em casa, o que mais você pode querer? Ninguém inveja você, seja qual for seu apetite; e você nunca se deita em uma cama úmida. Salvo em seu castelo, como um rei em seu palácio, o homem se sente alguém e não sente medo de ser considerado orgulhoso por pensar assim. Todo galo canta em seu terreiro, e o cachorro sente-se um leão quando está em casa. A vassoura é a senhora do seu armário. Não há necessidade de cuidar de cada palavra, porque algum inimigo pode estar observando, nem manter o coração fechado a sete chaves; tão logo fechamos a porta de entrada abre-se o saguão da liberdade sem nada a espreitar-nos. […] nossa terra é a mais bonita nos trinta quilômetros a nossa volta, porque nosso lar está nela, e meu jardim é um perfeito paraíso, por nenhuma razão especial além desta muito boa: ele pertence à velha casa do meu lar.
[…]
Tudo o que prejudica o lar é uma maldição e deve ser eliminado, como os guardas-caças fazem com a enzima das florestas. Os maridos devem tornar o lar feliz e sagrado. O pássaro que suja o próprio ninho é doente, e o homem que torna seu lar miserável é mau. Nossa casa deve ser uma pequena igreja com a santidade de Deus acima da porta, mas jamais deve ser uma prisão em que há um monte de regras e ordens, mas pouco amor e nenhum prazer. A vida de casado não é sempre doce, mas a graça no coração mantém afastada a maior parte das amarguras. O marido deve ter prazer em agradar sua esposa, e a esposa, esmero em cuidar do seu marido. Quem é gentil consigo mesmo é gentil com sua esposa. Receio que alguns homens vivam pela lei do individualismo, e quando esse é o caso, a felicidade do lar é uma farsa. Quando os maridos e as esposas são muito unidos, como sua carga se torna leve! Nem toda dupla é um par, o que é uma pena. Em um lar verdadeiro toda a disputa é para ver quem pode fazer o melhor para tornar a família feliz. Um lar deve ser um santuário, não uma Babilônia.

[…]
O lar é a maior de todas as instituições. Falem sobre o Parlamento, mas me forneçam um parlatório pequeno e sossegado. Se quiserem vangloriem-se sobre o voto e sobre a Grande Reforma Bill (Reforma que aconteceu na Inglaterra em 1832, sob o comando de Lorde John Russell), mas eu prefiro um casamento em um pequeno jardim e ensinar hinos às crianças. O direito de voto é uma coisa muito boa, mas antes disso, eu gostaria muito de conseguir uma hipoteca para minha cabana se pudesse ter dinheiro para comprá-la. Não sei muito sobre a Carta Magna, mas se ela representa um lar sossegado para todo mundo, três vivas para ela.

Se eu não tivesse lar, o mundo seria uma grande prisão para mim.”

(Sabedoria Bíblica – Lar, Charles H. Spurgeon)

Eu recortei bastante o artigo para não ficar tão longo e cansativo e os grifos em negrito são meus também! Se alguém quiser ler o artigo inteiro, eu vou procurar aqui e faço um update!

Finalizo citando Lutero:

“Que a esposa faça o marido ter prazer de chegar em casa, e que o marido a faça sentir um aperto de deixá-lo ir”

Que o Senhor nos ajude!
Bom final de semana!

Anúncios

3 pensamentos sobre ““Vivei a vida comum do lar”

  1. Pingback: Quem não gosta de uma casa arrumadinha? É | Com Amor no Lar

  2. Que belíssimo post! Hoje mesmo roubaram a minha carteira e nada se encaixaria mais docemente na minha vida do que me recordar de que no meu lar eu posso deixar a bolsa aonde eu quiser que não serei roubada. Sem contar com todas as coisas deliciosas que fazemos no nosso lar. A cozinha com cheiro de bolo do chocolate (que não é o mesmo na casa dos outros), o banho demorado, o edredom que já está velhinho de tanto ser usado por nós, a TV que já tem o seu próprio HD com nossos programas, a geladeira com as nossas comidas favoritas. Eu sinto como se a minha casa fosse o lugar no mundo onde só existem as minhas coisas favoritas, aquelas que eu escolhi, ou melhor ainda que NÓS escolhemos! ❤ Muito obrigada, Esther, por me lembrar de como é bom ter um lar e estar nele nesse momento. 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s