O Primeiro Trimestre da Gestação – Quando Sensações e Sentimentos não estão em Sintonia

Ok. Depois de algumas tentavas, ou de um modo surpreendente você descobriu que está grávida. O teste deu positivo, o exame de sangue comprovou e (geralmente) o clima é de muita alegria, todos te parabenizam, te abraçam e esperam pra ver o seu enorme sorriso (que nem sempre é assim convincente!).

foto

Os primeiros meses da gestação são muito especiais e muito importantes para o bebê. Fui alertada diversas vezes sobre a importância de uma boa alimentação e repouso nessa fase, além de também ter sido advertida sobre náuseas, vômitos, dor nos seios e outros desconfortos, ao mesmo tempo em que insistiam em repetir “gravidez não é doença”. Mas na vida não basta a gente ouvir dizer, precisamos sentir e ter a nossa própria experiência para tirarmos enfim, as nossas próprias conclusões.

Nessa primeira fase começamos a nos inteirar sobre o tema, calcular a data provável do parto, entender que a gravidez é contada em semanas e não em meses [para os médicos a gravidez tem 40 semanas, contadas a partir do primeiro dia da última menstruação, pode parecer estranho mas esse é o padrão], escolher a ginecologista, assistir documentários de gravidez na BBC ou na Discovery, fazer uma bateria enorme de exames e o prmeiro ultrasson, aprender a dar bom dia pro vaso sanitário, respeitar os horários de comer como nunca e se deliciar com os inúmeros livros e blogs sobre gravidez que encontrar por aí.

Corpo – Sensações

Eu já tinha ouvido falar na enorme transformação que o corpo sofre para gerar um bebê, já tinha ouvido falar sobre o gasto imenso de energia e etc, mas não imaginava que fosse uma coisa tão grande e tão profunda. Primeiro vêm os hormônios, que dominam o nosso corpo de tal maneira a mudar inclusive a forma como ele digere os alimentos! Acreditem se quiser, mas o HGC (tão esperado no resultado) é o grande vilão responsável por náuseas e vômitos. Sabe aquele perfume delicioso que o seu marido usa? Esqueça! Esses novos hormônios que dominaram o seu corpo detestam cheiro forte, seja de um perfume francês, seja da sua comida favorita. Muitas vezes você pode até tentar comer uma coisa que está acostumada, até de repente descobrir que aquilo tem um cheiro horrível e um sabor forte demais para ser apreciado, como foi para mim a Nutella. Eu era uma amante de Nutella, tinha que fazer um grande esforço para comê-la só 2 ou 3 vezes por semana, a primeira vez (depois de grávida) que coloquei na boca, tive que fazer um esforço pra engolir, que coisa ruim! Que gosto forte de avelã! Eca! Isso acontece porque o nosso olfato adquire maior sensibilidade nesse período, então passamos a sentir muito mais os cheiros que nos rodeiam.

Como se não bastasse, esses hormônios também vão afetar o intestino e o estômago, já que relaxam toda a musculatura do corpo, principalmente a do útero. O intestino e o estômago trabalharão muito mais devagar, e os efeitos podem ser tanto prisão de ventre quanto diarréia. A digestão sendo mais lenta traz a tão famosa azia ou enjoo, que todos dizem passar após a 16a semana (eu ainda estou esperando ansiosamente essa nova fase da minha vida).

O aumento do sono é outra coisa significativa. Gente, um cansaço que você não sabe da onde veio! Tudo isso porque agora o seu corpo tem trabalho dobrado. Tudo começa na produção da placenta, que só terminará de ser formada no final desse primeiro trimestre.  Além disso o metabolismo muda muito e as taxas de açúcar no sangue variam muito (e eu que o diga) e por causa da pressão baixa a sensação de cansaço aumenta.

E por último, e não menos importante, os seios mudam muito. Por volta da oitava semana de gestação os seios começam a aumentar de tamanho, as veias ficam mais visíveis e podem aparecer estrias (aqui é válido recomendar beber muita água e caprichar nos hidratantes), os mamilos tendem a crescer e escurecer. Mais uma coisa para você se adaptar!

No final do primeiro trimestre, talvez um pouco antes, talvez um pouco depois, é que a tão esperada barriga começa a aparecer! A gente se estica, põe uma roupa mais justinha pra ver se ajuda, mas de um jeito ou de outro ela aparecerá e aí sim todos os enjoos, vômitos, dor nos seios e cansaço começarão a fazer sentido e você vai começar a notar como tudo isso valeu a pena! ❤

Sentimentos

Diferente de tudo isso, dentro do meu coração eu estava radiante! Muito feliz pela grande bênção que Deus nos deu de sermos pais.  Claro, o medo sempre tem, seja de o filho vir com saúde, seja de ele ser bem educado, seja da sua própria salvação. Mas todas essas coisas a gente procura sempre entregar para Deus, e deixar que o nosso Deus soberano seja Deus em nossas vidas.

Para me inteirar dos assuntos comecei a ler alguns livros e blogs e assisti vários vídeos, inclusive de partos. Tudo isso foi tornando aquela ideia abstrata de ser mãe, um pouco mais real. Apesar de ter tido 2 irmãos menores [um nasceu quando eu tinha 8 anos e outro quando eu tinha 16], e apesar de ser rodeada de crianças aqui na Itália, nunca é a mesma coisa quando a responsabilidade é sua. Então, vira e mexe eu e o Pedro nos percebemos analisando e conversando sobre educação de filhos.

Além do medo e da preparação para esse momento, também existe muito deslumbre. Não sei se sou eu, que sou muito deslumbrada com as coisas, mas me sinto maravilhada como o salmista quando fala: “Pois possuíste os meus rins; cobriste-me no ventre de minha mãe. Eu te louvarei, porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui feito; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem. Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui feito, e entretecido nas profundezas da terra. Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia. E quão preciosos me são, ó Deus, os teus pensamentos! Quão grandes são as somas deles!” Salmos 139:13-17

E assim eu sei que Deus tem formado essa pessoa dentro de mim de um modo “assombrosamente maravilhoso”, saber, por exemplo que essa semana é provável que seus cabelos estão nascendo e seus dentes estão sendo formados, gente! Isso é tão sobrenatural, só mesmo um Deus maravilhoso e poderoso poderia ser capaz de formar vida dessa forma. Seguimos orando para que Deus forme e cuide dessa criança desde já, que ela possa conhecê-Lo em breve e amá-Lo muito, porque para Ele são todas as coisas.

A outra grande alegria é poder compartilhar com nossos pais, que serão avós pela primeira vez, esse momento. Infelizmente divididos por um oceano, mas é muito gostoso ver que no momento certo Deus enviou essa criança e que isso pode fazê-los muito felizes porque eles ainda nem são anciãos e já têm a sua coroa: “Os filhos dos filhos são uma coroa para os idosos, e os pais são o orgulho dos seus filhos.” Provérbios 17:6. Assim como no filme “Na Natureza Selvagem” (Into the Wild) percebemos como a alegria faz mais sentido quando é compartilhada, assim também sentimos o quão bom é ter amigos, pais e pessoas queridas que se alegram conosco.

É verdade que nós, grávidas, ficamos mais sensíveis às coisas, às vezes estou sorrindo e tão bem, de repente vejo um vídeo bonito, uma propaganda de fralda de bebê, uma cena romântica e já estou chorando rios de lágrimas sem conseguir me controlar! Às vezes estou irritadíssima sem motivo e às vezes canto no chuveiro. Isso é bem esquisito! 🙂 

Mas de um modo geral, mais sensíveis ou não, o fato é que estar grávida é uma experiência maravilhosa, concedida por Deus a nós, mulheres. Que saibamos aproveitar esse privilégio e glorificar a Deus também nesse período.

Com amor,

Bruna e baby

Anúncios

4 pensamentos sobre “O Primeiro Trimestre da Gestação – Quando Sensações e Sentimentos não estão em Sintonia

  1. Pingback: O Segundo Trimestre da Gestação – Quando a Alegria Cresce Junto com a Barriga | Com Amor no Lar

  2. Pingback: O Terceiro Trimestre da Gestação – Quando você compreende o significado de eternidade | Com Amor no Lar

  3. Olá estou com 10 semanas de gestação e graças a Deus não sinto nada….nem enjoo de comida nem de perfume. E o sono continua o mesmo. rsrsrs…..bjão

  4. lol
    Uhulll Viva o João ou Luiza!!! Esperamos que essas dificuldades do primeiro trimestre tenham já passado…
    Cada dia que fica mais quente, com a primavera chegando só consigo pensar que no fim do verão terei meu amado fi;lho(a) no colo!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s