Por que precisamos educar nossos filhos? (Parte 2)

bater-filhos-grande

Certamente, vocês pais, cristãos, que se identificam com o pensamento conservador, devem estar preocupados com esse estado de coisas em que vivemos e certamente a educação de filhos é um tema de sua importância.

Temos visto professores de escolas infantis ensinando as crianças sobre os seus direitos, sobre tudo o que o Estado diz sobre o que é família e como as coisas devem acontecer na sua casa; que os pais não podem bater nela e que se baterem elas podem denunciar; que bater é uma violência, que humilhar, xingar, é uma violência e assim por diante (vide a famosa Suécia e seu sofrimento). E você ainda acha que não deve insistir muito em conversar com o seu filho sobre o que acontece na escola?

Fiz a seguinte pergunta para um amigo: Pra você, porque é importante educar o seu filho? E ele disse: “Por que é dever dos pais educarem seus filhos, lhes ensinar os valores que acreditam serem corretos, serem verdadeiros para que cresçam e sejam pessoas de bem. Por que se eu não educar o mundo educa, a professora educa, a televisão educa.” E certamente eles não amam seus filhos, não irão cuidar dos machucados que essas influências deixarão na sua família.

Como mencionei no post anterior, quando pensamos em educação de filhos não podemos pensar em uma educação que esteja distanciada da correção, da disciplina, do ensinamento do que é correto, do que é melhor à vida de quem está começando a viver. Deus faz isso conosco! Podemos perceber isso no texto clássico de Provérbios 13:24. Quantos são os versículos em Provérbios (3:11-12; 15:20; 17:21;  17:25; 19:18; 22:6; 22:15; 23:13-14; 29:15; 29:17) que nos mostram que a criança deve ser corrigida para não ser insensata, para ser ábia,para não ser a vergonha dos seus pais, etc. E por isso, decidi compartilhar com vocês sobre a importância da correção na educação dos nossos filhos.

Educação é dever dos pais: amando através da disciplina 

Sobre este tema, gostei do vídeo do John Piper[1] publicado no site Voltemos ao Evangelho. Gostei especificamente de uma parte em que ele diz que Deus nos corrige através do sofrimento, utilizando como referência Hebreus 12. O próprio Deus, nosso bondoso Deus, nosso Deus justo, excelso, corrige a quem ama. A correção dói, mas gera vida! (Pv. 23:13-14).

Em provérbios, como descrito nesse texto que acompanha o vídeo do John Piper, a disciplina, a correção está ligada ao amor, e a falta de correção ao ódio (Pv. 13:24). Na fala do Piper, quando exemplifica a questão da palmada ele diz que dar palmada, bater em seus filhos não é o mesmo que espancá-los, que quebrar um braço, por exemplo. Isso é abuso, violência. Na minha opinião, infelizmente, as pessoas tem caído na conversa de que disciplinar seu filho fisicamente (porque a disciplina não ocorre somente com o ato físico, mas também na conversa, no estabelecimento de novas regras) é sinônimo de violência, é praticar abuso infantil.

Ora essa! Que conversa fiada! Parem por um instante e pensem: de quem vocês tem escutado isso? Olhem para vocês mesmos e me digam se em determinada fase ou situação da vida, quando pequeno, você não mereceu aquela palmada, aquela boa conversa que lhe deixou muito constrangido pelo que fez? Acredito que pessoas com mais de 20 anos experimentaram palmadas, conversas sérias, palmadas com exageros talvez, xingamentos de mães sem paciência, puxões no braço, alguns berros ou vários deles, etc., mas isso não fez de nossos pais violentos, abusivos, sujeitos que mereciam a prisão ou alguma condenação; que mereciam que a professora da escola dissesse a melhor forma de educarem seus filhos. Imagina a quantidade de problemas que essas ideias podem gerar (e tem gerado)?

Por exemplo, uma criança que é disciplinada pelos pais, hoje, sabendo de todas as aberrações sobre os seus “direitos” (pobres crianças!), como forma de vingança, porque está muito brava com sua mãe ou com seu pai por tê-la deixado brincando em casa ao invés de brincar com os amigos na casa da melhor amiga, após umas palmas, vai até a professora e diz que seu pai sempre bate nela e que dessa fez ele exagerou (tá, é só um exemplo!). PRONTO! Isso pode ser o suficiente para acabar com o sossego familiar e você passar a ser vigiado por quem nem sabe sobre a sua família, ou sobre educação, ou nada sobre criação de filhos, baseando-se nesse pensamento inverso a realidade. A sociedade tem se apegado a ideias contraditórias e mortíferas e infelizmente a escola, de um modo geral, tem sido um dos lugares de reprodução da interferência maléfica do Estado na vida das famílias cristas, das famílias conservadoras.

É claro que eu não estou me esquecendo de pais e familiares que realmente violentam crianças, mas para isso há Lei; já existem meios de puni-los ainda que muitas vezes não eficazes, mas isso não dá direito ao Estado de nos dizer como devemos educar nossos filhos, com quantos anos eles devem ir para a escola. Não podemos nos deixar enganar pela conversa de que o Estado protege a criança melhor que os pais, ou que a escola simplesmente protege a criança… Quem ama seus filhos não são eles e sim você! Quem deve corrigir seus filhos não são eles e sim você! Quem espera que eles sejam pessoas sadias, sábias, que construam uma família, que amem a Deus não são eles e sim você.

A disciplina tem sua importância na educação de filhos quando olhamos para as Escrituras e vemos que a correção nos livra da morte; que a correção gera sim sofrimento, mas sem ela não veríamos a forma correta de agir e viveríamos em nossos próprios erros (Pv. 20:30). Mais uma vez: as Escrituras nos mostram que Deus corrige a quem ama.

“Eis que bem-aventurado é o homem a quem Deus corrige; não desprezes pois, a correção do Todo-Poderoso. Pois ele faz a ferida, e ele mesmo a liga; ele fere, e as suas mãos curam”. (Jó 5:17-18)

É mandamento do Senhor educarmos nossos filhos no temor do Senhor, disciplinando-os com vara para livrar suas almas do inferno (Pv. 23:12, 13, 14) para poupar vergonha à sua mãe, como diz em Pv. 24:15 e também pelo principal fato de nascermos pecadores (Pv. 22:15), pessoas que desagradam a Deus e que somente por Sua graça poderão se achegar a Ele.

É no seio familiar que as crianças devem ser educadas. É junto dos pais que as crianças devem compreender o que é certo e o que é errado. A escola poderia ser um dos lugares em que os nosso filhos pudessem aprender a ler e escrever, somar e subtrair… Vamos ficar atentos ao que estão ensinando aos nossos filhos!

Que Deus nos ajude!

“Há caminho que ao homem parece direito, mas ao cabo dá em caminhos de morte” (Pv. 14:12)

[1] http://voltemosaoevangelho.com/blog/2014/07/o-que-nao-faz-uso-da-vara-odeia-seu-filho/.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s