5 conselhos para serem vividos e preservados no casamento

5525741_origEsses “conselhos” foram extraídos após alguns longos meses de conversas entre eu e meu esposo (estamos casados um ano e oito meses) e também são o resultado, ainda que superficial, de um curso chamado “Oficina de Casamento” que está prestes a acabar (e eu sentirei muita falta dos ótimos conselhos do professor).

Bom, quando eu e o meu esposo precisávamos sentar para resolver alguma dificuldade que estávamos enfrentando como casal, ao final da conversa, meu esposo sempre pergunta: “Que conselho você daria para um casal recém-casado ou prestes a se casar?”, e aí o papo vai longe quando surge um conselho “novo”.

Desse bate-papo (oras tenso, oras não) extraí alguns conselhos que considero bastante importante para serem vividos e preservados no casamento. Estes não estão em ordem de prioridade e talvez, para você, no relacionamento com o seu cônjuge, tudo isso vá bem, mas acredito que para uma maioria, essas dificuldades estão bastante presentes.

Bom, sei que estes conselhos não são novidades para ninguém, mas cada vez que temos a oportunidade de conversar sobre eles, a nossa visão a respeito do casamento, da vida a dois, vai ficando mais próxima da nossa experiência e consequentemente, acaba fazendo mais sentido e assim podemos propor e buscar objetivos que nos ajudem nessa caminhada de forma mais clara, e assim podemos colher resultados mais eficazes. Esse é aquele assunto que não custa (re) pensar. Arrisco a dizer que é PRECISO conversar sempre sobre “o andar” do casamento. É de suma importância cuidar cada vez mais e melhor dessa união tão preciosa feita e dada a nós por Deus. É da nossa responsabilidade! Ele nos deu!

1. Converse, converse muito, converse mais um pouco, mas não discuta.

O que acontece muitas vezes é falarmos pelos cotovelos, ou não sermos ouvidos e vice-versa, ou conversarmos com “tom” de cobrança. Temos que conversar com o objetivo  de resolver o conflito, ou melhorar a situação. Precisamos expor nossos pensamentos e sentimentos aos nossos cônjuges a fim de nos entenderem, de entenderem a nossa mensagem. Não podemos ter pressa no momento da conversa e nem deixar de conversar porque “eu sei que ele não me escuta mesmo?!”. Também PRECISAMOS ESTAR DISPOSTAS A OUVIR COISAS QUE NÃO NOS AGRADAM , AINDA QUE DITO COM TODA A DELICADEZA DO MUNDO. Muitas vezes “a verdade dói” porque fere o nosso ego, o nosso orgulho perante o outro.

2. Pense no que faz o seu cônjuge se sentir amado e expresse o “amor”. 

No curso que comentei, o Prof. Gustavo Abadie, para falar desse assunto, utiliza como base o livro As 5 linguagens do amor, do autor Gary Chapman, e ouvindo o que ele ministrava nessa aula, consegui entender qual a linguagem do amor do meu esposo (e é claro que nós, no jantar, dissertamos longamente sobre o assunto, rs) e comecei buscar maneiras de expressar o amor por ele a fim de que ele se sentisse amado. Para ele, as minhas palavras tem um peso enorme e tinha “o poder” de deixá-lo muito feliz ou muito pra baixo, por exemplo. Foi então que comecei a prestar mais atenção no que dizia a ele, a forma como era dito. Essa é uma das formas que encontrei de cuidar dele, fazer com que ele se sinta amado.

Gente, não é mágica, é esforço, é amar o outro e isso exige que busquemos conhecer o nosso cônjuge, exige que esqueçamos um momento de nós mesmas, que saiamos da zona de conforto (se você é daquelas pessoas que só fica esperando receber o carinho, o elogio, mas não toma nenhuma atitude).

3. Separem um tempo regular só para vocês mesmo que não tenham filhos.

A rotina, muitas vezes, nos consome. Quando temos um bebê, a sua chegada exige um pouco mais de nós (ou muito) e precisamos organizar o tempo, separar um momento regular para conversas, carinhos ou assistir o programa favorito juntos, por exemplo. A escolha do que fazer, do tempo que podem parar para estarem a sós, é sua! 😉

4.  Leiam a Bíblia juntos, orem por necessidades específicas e conversem sobre isso

Antes mesmo de casarmos, separávamos o nosso tempo juntos para estudarmos algum tema referente a Bíblia. Começamos com Salmos. Líamos juntos, buscávamos meditar nos pontos que chamavam a nossa atenção e orar por aquilo e hoje retomamos essa mesma rotina. Ainda na época de solteiros, compramos bons comentários bíblicos e ótimos livros, compartilhávamos os nossos pontos de vista e pudemos conhecer mais e melhor um ao outro.

O objetivo principal, obviamente, é conhecer mais a Deus, nos aproximarmos mais dEle. E esse deveria ser o primeiro passo para um bom casamento. Antes de começar qualquer coisa, de pedir mudança ao outro, ore a Deus! Antes de ser esposa, mãe, filha, você é uma mulher cristã (ou um homem cristão) e o nosso dever é glorificar a Ele, buscar a Sua vontade, conhecer Seus mandamentos, buscar intimidade com o nosso Senhor, pois dEle depende a nossa própria existência e tudo o que nos cerca.

5. Perdoem um ao outro o mais rápido possível.

Esse é o conselho de um casal que amamos e admiramos muito nos deu antes de casarmos. Eles nos disseram exatamente isso: “Perdoem um ao outro o mais rápido possível” e “Não durmam brigados”. Não permita que qualquer sentimento afaste você do seu cônjuge. Sentimentos como o orgulho  é um poderoso inimigo. Não permita que os “achismos” façam ninho sobre a sua cabeça.

Que Deus nos ajude a sermos mais diligentes diante de tudo o que Ele nos tem dado, pela forma como tem nos agraciado. A Ele toda a glória!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s