Grávida de novo? – Um depoimento sobre segunda gravidez

“Mas já?”, “vocês estavam planejando?”, “tomara que seja o-sexo-oposto-ao-primeiro-filho!”, “daí depois vocês vão fechar a fábrica né?”. Tudo isso e muito mais fazem parte da segunda gravidez! 🙂 Enquanto na primeira gestação você só faltava ser carregada no colo, dessa vez esteja satisfeita se lhe oferecerem um lugar no ônibus para sentar. Mas calma, nem tudo é drama!

IMG_20150912_173134

A segunda gestação surgiu nas nossas vidas a partir de um grande desejo de sermos pais novamente. Gostaríamos muito de presentear nossa filha com um irmãozinho e a nós mesmos com mais uma pessoa especial em nossa família. Oramos muito ao Senhor para que, se fosse da Sua vontade, nos desse mais uma vez essa bênção de sermos pais. E o Senhor ouviu nossas orações! Aprouve a Ele que mais um ser humano, criado e formado a Sua imagem e semelhança, fizesse parte da nossa família. Motivo de grande alegria para nós, mas de nem tanta para a maioria das outras pessoas.

Enfim, a segunda gravidez não é tão romântica quanto a primeira nesse sentido. Não é novidade nem pra você, nem para os outros a sua barriga crescer e você já não tem mais tanto tempo para pensar e planejar cada mínimo detalhe da vida do seu bebezinho que cresce. E ao invés de querer logo que a barriga apareça, você torce para não ficar barriguda tão depressa, pois assim poderá aproveitar suas roupas por mais tempo! O enxoval já não é um sonho azul, mas algo prático que precisa ser resolvido; os exames e ultrassonografias já não são experiências sensacionais, mas às vezes atrapalham um pouco a rotina da família, e o chá de bebê? Precisa mesmo dessas coisas, gente?!

Ao mesmo tempo, você (geralmente) está muito mais segura para encarar o parto e os primeiros dias do recém-nascido e aproveita para pensar no outro bebê enquanto canta para o seu filho mais velho. Ali, sentados no chão contando histórias, você se lembra de que não tem mais só 1 par de ouvidos que te ouvem, mas 2. E isso enche o coração de alegria. Em momentos de ternura em família (aqueles em que o seu filho lhe dá um lindo sorriso, um abraço carinhoso ou faz carinho no seu rosto com a mão suja de alguma coisa melequenta) você de repente se lembra de que tudo isso será em dobro, muito em breve. E mais uma vez, todo o resto perde a importância diante da beleza de ver a família crescer.

Claro que as sonecas não são mais tão longas quanto eram antes e os enjoos não são tratados como o problema mais urgente da família, mas ainda assim a gente arruma uma meia hora pra cochilar (nem que seja esperando o médico nos chamar pra consulta) ou tenta driblar os enjoos fazendo qualquer brincadeira com o nosso outro filho. As coisas são diferentes, algumas coisas são melhores, algumas coisas são piores, fato, como tudo nessa vida.

Na segunda gestação já temos várias ideias do que queremos fazer igual e do que queremos fazer diferente com o outro filho. Dessa vez as propagandas e métodos da moda já não nos enganam mais e nos sentimos muito mais seguras para cuidar e educar uma outra criança. Porém com a novidade surgem novos medos também: será que eu vou dar conta de dois? Será que o segundo vai ser tão calmo quanto primeiro? Será que eu vou conseguir fazer isso ou aquilo? Essas perguntas, como sempre, ficam para ser respondidas depois, o que não nos impede de fazê-las a quem já passou por essa experiência. Aí poderemos ter uma ideia de como as coisas poderão ser, de quais dificuldades poderemos esperar e de quais vantagens poderemos usufruir.

A verdade é que a Bíblia nos ensina que filhos são bênção do Senhor e podemos nos alegrar ao pensar que Deus está nos abençoando novamente. Apesar de todo o trabalho dobrado que muitas vezes nos cansarão, apesar de todo o esforço que faremos dia após dia em prol de glorificar ao Senhor na tarefa de pais, olhar para a vida e pensar que, ao mesmo tempo, eu terei o privilégio de pregar diariamente e cuidar de mais um pequeno ser que o Senhor me deu faz a vida valer a pena. Compartilho com vocês um trecho do texto de Tedd Tripp sobre a alegre impossibilidade de ser pai (que pra mim serviu sobre ser mãe): “A tarefa é muito maior do que a nossa habilidade de pais, mas nós não somos o messias de nossos filhos, e não somos deixados apenas com nosso caráter, sabedoria e forças como recursos. Nossos filhos tem um messias. Ele os acompanha, e trabalha em nós e através de nós. O sábio Pai celeste está trabalhando em todos os envolvidos na história, e não vai chamar ninguém sem antes capacitar para a tarefa.”

Mais sobre o tema?

Com amor,

Bruna

 

Anúncios

2 pensamentos sobre “Grávida de novo? – Um depoimento sobre segunda gravidez

  1. Pingback: Grávida de novo? Como aproveitar a segunda gestação | Com Amor no Lar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s